<= Menu FitiniZini.com
MZ*12

FitiniZini.Com

Cór-Cór o Terrível

* por Dr. Fortunato Da COSTA

A Vala

Estava um dia sêco. Eram duas da tarde e o sol a pino não dava hipóteses. Eramos para aí uns dez ou doze. Quase todos em tronco nú, de calções, chinelos ou sandálias, outros menos afortunados só com as solas que Deus nos deu. Não havia mesmo nada para fazer, o calor era tanto que até as ideias se tinham evaporado. De pança cheia, lá estavamos nós sentados no quintal do Cór-Cór o Terrível. Que por sinal era o vizinho do JOCA, Jóquinha para a mãe dele, e JO para os amigos-de-sangue como eu.

As casas eram geminadas, duas vivendas de rés-de-chão onde os Pais do JO e do Cór-Cór tinham as suas respectivas Cantinas. As entradas eram pelo lado da estrada, e nas traseiras eram os quintais, virados para as Tembas, aldeolas de cabanas de colmo onde viviam os nativos menos favorecidos.

Havia moscas, moscardos, mosquitos por todo o lado. Eram verdes, azuladas, metalizadas, vermelhas, amarelas, e eram aos milhares. Todos nós sabiamos porquê!! Mas ninguém arriscava uma palavra... talvez ninguém fosse capaz de abrir a boca. Era isso! O cheiro nauseabundo que pairava no ar, até nos impedia de abrir a boca. Porque ali era mesmo: Ou entrava mosca, ou...

A catástrofe era total, e o cheiro insuportável, sentia-se a kilómetros. Mas ninguém arrredava pé... afinal eramos Homens, ou não? O respeito pelo temível Cór-Cór obrigáva-nos a aguentar aquele tremendo cheiro imundo a merda apodrecida... Exacto! A fossa da casa do Cór-Cór estava entupida. E o pai dele, num acto de desespero total para resolver o problema, esventrou a terra e pôs a nú aquela enorme fossa escura, A VALA.

Cheia de uma pasta brilhante e amolecida, o castanho escuro e o amarelo misturavam-se com o preto, entre uma aguada, aqui e ali. Um buraco circular com cerca de três por quatro metros, com para aí um de fundo. Onde as moscas multicolores e felizes, sentiam ter ganho o paraíso. Para nós aquilo era pior que o inferno, mas todos tentavam mostrar a maior das descontrações.

E lá estavamos nós corajosamente, em suplício os Doze Cavaleiros da 'Vala Redonda', em meditação. Não sei bem se a contar as moscas, ou a ver qual era o primeiro a pifar, redondo por terra.

"Já sei! Tive uma ideia maningue porreira!!" - Exclamou o Terrível Cór-Cór, que num salto de grande agilidade se pôs em pé, e que com os olhos brilhantes nos fitava, por ter tido uma ideia genial. Provavelmente a ideia do mês. E já sabiamos, ia sobrar para todos, ou alinhávamos ou levávamos porrada...

"Aposto que sou capaz de saltar por cima da fossa!!!" - Berrou o Cór-Cór com um esgar de vitória antecipada. Olhei para o JO que imediatamente entrou em sintonia telepática comigo. Os nossos olhinhos sorriram por uns segundos, a princípio, mas depois... foram ficando cada vez mais sérios, até que ficaram estáticos e vazios. Pois, se o Cór-Cór ia saltar a fossa de merda, a seguir tinhamos de ir nós!!

"Aposto que não és capaz!" - Ouviu-se uma voz não sei de onde. Estávamos todos tramados, o desafio estava lançado... não havia nada a fazer.

Cór-Cór iniciou imediatamente os exercícios de aquecimento. Não havia tempo a perder, pois o torneio ia ser longo. "Bom malta, tenho de ir levar a minha bicla à oficina." - Ouviu-se outra voz, mas muito fininha. "Vais depois!!!" - Finalizou de vez o Terrível Cór-Cór.

"Afastem-se!!" - E o Cór-Cór cheio de coragem afastou-se para aí uns dez metros da vala.

Todos nós formámos como que um corredor junto à fossa. Um de nós ficou de contar até três.

O silêncio era fúnebre. Só o zumbido das moscas, cortava o arfar das nossas respirações...

Eram Três horas da tarde...

"UM!... DOIS!!... TRÊS!!!" - Ouviu-se a partida. E... aí o Cór-Cór começou a correr velozmente os dez metros.

Ele é mesmo um atleta incrível, pensavamos todos. Que agilidade. Que leveza.

Cór-Cór colocou o seu último pé exactamente um milímetro antes do buraco... e então esvoaçou.

Tal como um pássaro gigante que se lança num precipício, com o rosto contorcido por um esforço inumano, Cór-Cór iniciou o seu tremendo voo que iria levar longos segundos. Um milagre estava prestes a acontecer... o pé do Cór-Cór iniciou a descida para o outro lado da vala.

Atenção! Vai aterrar... o pé do Cór-Cór tocou vitoriosamente a outra margem do 'inferno'...

Mas, ... cuidado!... O delicado pézinho do Cór-Cór que tão bem tocou o outro lado fez a borda do buraco desmoronar-se... e sucedeu o que inesperado (ou esperado?): O valente Cór-Cór desapareceu totalmente dentro daquele infernal buraco de trampa!!

Socorro... Preciso de mais Sabonetes e, e... PerfuuumeeeES!!

(... CONTINUA ...)

Quelimane, Moçambique, 1973

Todos os Direitos de Propriedade Intelectual pertencem a:

Dr. Fortunato Da COSTA
EMail: fitini@fitini.net

Por favor, AJUDE-NOS a continuar
estes Artigos para a sua Leitura Gratuita:

(*) Dr. Fortunato Da COSTA, Mestre em Estudos Europeus pelo Instituto de Estudos Europeus, Licenciado em Administração Pública e Bacharel em Engenharia é Consultor Internacional Perito em Arquitectura Organizacional e Sistemas de Informação, Empresário, Professor, Formador, Orador em Palestras e Conferências, Escritor, Director da Fitini.NET ConsultinG, podendo ser contactado pelo e-mail: fitini@fitini.net. Visite: Fitini.NET ConsultinG

É Proíbido utilizar qualquer cópia, ou qualquer parte, deste documento sem autorização por escrito
Direitos de Autor totalmente protegidas Mundialmente pela Lei, Desde 2006


InMental-Institute.com Psicologia Hipnoterapia
Sonoterapia Apneiaterapia
...
InMental-Institute.com
PORTUGAL



[ Menu FitiniZini.com ]
?


Games Shopping Travel Health Fashion Consulting News Search Casino

E-Mail => fitini@fitinizini.com

Fitini.NET / FitiniZini.com i-Portal
O i-Portal de Humanos Inteligentes
Desde 2000, Todos os Direitos e Marcas Reservados